Pentecostes Pentecostes
“Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é... Pentecostes

“Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas”. Assim a Igreja crer no Espírito Santo e ensina-nos a crer!
Ao nos prepararmos para a grande Solenidade de Pentecostes, devemos ter a consciência do que de fato queremos que o Divino Esposo de Maria e da Igreja realize em nós. Ao agir em Maria, O Espirito cumpriu o grande plano de Salvação do Pai em Jesus Cristo, O Justo (cf. 1Pd 3,18), e ao animar a Igreja, realizou o pleno cumprimento da Salvação da humanidade que nos foi dada pela Morte e Ressurreição do Galileu. Assim, com a força do Defensor, O Gó êl, a Igreja até os dias atuais realiza a missão ordenada pelo “pobre” Nazareno: “Mas recebereis uma força, a do Espírito Santo que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e a Samaria, e até os confins da terra” (At 1,8).
A identificação do Espírito com a comunidade é tal que mentir à comunidade é o mesmo que mentir ao Espírito Santo (At 5,3.9). Como está a verdade de nossa conversão?  Temos uma vida nova para ofertar a comunidade e deixar-se incendiar abrasadamente em oração pela mesma? Vida só se salva com vida e amor, somente com amor se plenifica e salva!
O Espírito é conferido pelo Batismo (At 2,38), pela imposição das mãos (At 8,18; 9,17;19,6), pela oração (At 8,15). Quando a oração é feita em comunidade, ela até provoca um novo Pentecostes (At 4,31). Voltemos os olhos e nossas ações para a força do Espírito que nos fundou, temos tudo isso que a Igreja primitiva vivia. Se você está se sentido fora disso, cuidado! Volte logo irmão(a).
O Espírito também se manifesta sem intermediário, sem aviso prévio, e desce, de repente, provocando surpresa e revisão do rumo da comunidade, como aconteceu na conversão de Cornélio (At 10,44-48; 11,16; 15,8-9). O Espírito Santo faz tudo, desde a redação do documento final do Concílio (At 15,28) até a definição do roteiro de viagem dos missionários (At 16, 6-7): faz com que Estevão tenha coragem de ir até o martírio (At 7,55); manda Pedro ir para a casa de Cornélio (At 10,19;11,12); conversa com Filipe e o leva de um lugar para outro (At 8,29.39); fala na comunidade apontando novo rumo de  ação (At 13,2); pelo Espírito, os discípulos têm o pressentimento do que vai acontecer no futuro (At 20,22-23; 21,4). Nossa Ir. Serva também (rsrsrs). E esse mesmo Espírito, viria alguns séculos depois para nos guiar, juntamente com nosso fundador, às moradas eternas. E apesar de tão manifesta verdade, houveram aqueles que, resistindo à ação do Espírito, se recusaram a aceitar a evidência de Deus que se manifestava nos fatos (At 7,51). Acreditemos, irmãos/ãs, é o próprio Deus que nos convida a não resistirmos a vida de santidade que pode salvar a nossa geração. “Nossa razão esclarece, teu amor no peito ascende, do nosso corpo a fraqueza com tua força defende” (Hino, Veni Creator).
Ele que falou pelos Profetas!
Permitamos amada comunidade que se cumpram, também em nós, o que já se cumpriu nos Antigos Profetas e nos Apóstolos do Senhor, assim como na vida de tantos santos que foram um porto seguro para sua época e a conduziram ao encontro com a única razão plausível que até hoje fez e faz sentido gastar a vida, e até morrer por Ele. É Jesus, que foi anunciado pelos profetas e pregado pelos apóstolos, testemunhado pelos mártires, que conduzidos pelo Espírito deram razão de sua esperança (cf.1Pd3,15).
Permitamos que o Espírito nos comunique a vida: Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida. Para gastarmos no Reino do Senhor e vivermos profusamente (que se espalha em abundância) em contínua efusão, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (cf. Rm 5,5).

Frei Servo do Amor Chagado, pjc.

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *