round image on layout top

Tudo nos é permitido, mas nem tudo nos convém!

Publicado em 25 de julho de 2012

Quem sabe seja possível fazermos uma lista imensa do que é permitido e do que é proibido à todo aquele que se diz cristão. É evidente que não podemos nos encerrar simplesmente nessa premissa!

Mais do que identificar o que nos é permitido ou proibido, precisamos perceber o que verdadeiramente nos beneficia ou nos prejudica, o que nos liberta e o que nos escraviza.

“Tudo posso, mas nem tudo me convém” (I Cor. 6,12). Ao escrever à comunidade de Coríntios, São Paulo quis mostrar o quanto era necessário observar a mensagem de Jesus Cristo para viver com retidão a vida cristã. Quis ensinar como devemos guiar adequadamente nossas escolhas e atitudes diante da pluralidade de opções e alternativas que o mundo nos oferece.

Compreender e aceitar o que fala o Apóstolo Paulo, requer do cristão uma luta interior muito grande. Diante de tantas opções, temos a consciência do quanto é difícil seguir o caminho traçado por Cristo, mas que nos conduz à plena felicidade. Como então viver com dignidade e retidão sabendo que estamos inseridos no mundo, mas que não podemos ser do mundo?

O apóstolo Paulo, voltado para o mais íntimo do seu ser, exclamava: – “Miserável homem eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? ” e, ainda: “Não faço o bem que eu quero, mas pratico o mal que não quero.” (Rom 7, 19).

Nossas escolhas, atos e palavras precisam agradar a Deus e por isso é necessário cuidado. É certo que Deus nos quer livres e não escravos. Mas, o que temos feito com nossa liberdade?

Como tenho vivido? Qual testemunho tenho oferecido aos jovens que estão a minha volta? A minha vida reflete conversão? O que eu falo, o que eu faço, o que eu “curto e compartilho” em redes sociais representam qual imagem? Sou verdadeiro imitador de Cristo?

Esses são questionamentos que devem fazer parte da vida do cristão! Não como forma de condenação, mas para que possamos identificar se os caminhos que temos escolhido beneficiam ou prejudicam o nosso crescimento como um homem novo.

A nossa liberdade é dirigida para o bem, por Cristo. Ele nos mostra qual caminho seguir para sermos salvos. O Apóstolo nos diz: “Portanto, irmãos, não devemos nada à carne, para vivermos segundo a carne. Pois, se viveis segundo a carne, estais caminhando para a morte. Mas se, pelo Espírito, fazeis morrer as obras da carne, vós vivereis”. (Rom 8, 12-13).

Ser livre não é “fazer tudo o que eu quero”.  Liberdade não é usar drogas para sentir-se livre e assim destruir a própria vida! Liberdade não é seguir as tendências da moda para sentir-se aceito na sociedade! Liberdade não é aceitar indiscriminadamente toda e qualquer coisa imposta pela sociedade ou pela mídia como sendo bom para você! Liberdade não é viver sem compromissos e responsabilidades! Liberdade não é “beijar vários na balada” para sentir-se amada! Liberdade não é expor sua vida em redes sociais! Liberdade não é gritar ao mundo impondo suas verdades!

Tudo isso não é liberdade; é ilusão que leva à morte! Felicidade passageira… atos que conduzem à dor, ao sofrimento e às lágrimas.

Me recordo que, certa vez,  recebi uma mensagem de nosso Pai Fundador, Pe. Gilson Sobreiro, dizendo exatamente assim: “Como um jovem poderá conservar PURO o seu caminho? Observando a tua PALAVRA” (Salmo 119,9).

Posso, ainda hoje, sentir com profundidade o peso dessa palavra, especialmente porque sou capaz de reconhecer que, naquele momento, as minhas escolhas e os meus atos estavam me conduzindo à morte!

É difícil e dolorido reconhecer que, muitas vezes, estamos servindo à Deus, falando em nome dEle, anunciando a Sua Palavra, buscando resgatar outros jovens, nos identificando como servos da vinha do Senhor, porém não temos conservado puro o nosso caminho, não temos observado a Palavra de Deus como regra para nossa própria vida!

Ora, como posso ofertar aquilo que não tenho? Como posso testemunhar o que não tenho vivido? Como posso falar com propriedade sobre um amor que desconheço? Como posso dizer à outros jovens: “Deus quer te dar vida nova!”, se eu ainda vivo como o homem velho?

Toda escolha é um compromisso. Não tenha medo de escolher seguir a Cristo e de observar a Tua Palavra. Não tenha medo de imitá-lo, por mais difícil que seja. Não tenha medo de reconhecer suas falhas e seus erros e, assim, recomeçar.

Sofrerás a rejeição do mundo. Tribulações se aproximarão e em muitos momentos você pensará: “Eu não consigo! Não sou capaz! Eu não aguento! Está muito difícil!”, mas, creia jovem, Deus te torna capaz, Ele te garante uma vida nova!

A menor intenção de ser melhor, já é a verdadeira expressão do amor de Deus manifestado em ti, te conduzindo, te guiando, te santificando!

Ei, jovem, não encare como normal as coisas do mundo! De fato, Deus não se limita a te enxergar a partir das roupas que você veste, daquilo que você faz, dos erros que você comete. Deus vê além e com misericórdia acolhe o coração contrito.

Contudo, faça a sua parte. Tudo lhe é permitido, mas nem tudo lhe convém!

Que tua missão seja levar Deus para o mundo e trazer o mundo para Deus. Amém.

 

“Precisamos de Santos sem véu ou batina. Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos. 
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se “lascam” na faculdade. 
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade. 
Precisamos de Santos modernos, Santos do século XXI com uma espiritualidade inserida em nosso tempo. 
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças socias. 
Precisamos de Santos que vivam no mundo se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo. 
Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem discman. 
Precisamos de Santos que amem a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refri ou comer pizza no fim-de-semana com os amigos. 
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte. 
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros. 
Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo mas que não sejam mundanos”.

(Papa João Paulo II)

 

Roberta Rizzo
Leiga Associada da Fraternidade O Caminho
Missão São Paulo

  • Ângela Barros

    É isso ai Ro, vc é demais minha irmã. Que Deus nunca nos deixe caidas diante dos nossos erros,e que tenhamos sempre a certeza de que tb vivemos o nosso Só por Hoje. Te amo…!!
    Ângela Barros, Leiga Fraternidade O Caminho.

  • Vericiana Alves

    Santas palavras, precisamos conservar puro o nosso caminho de cristãos.
    “Ou santos ou nada”.

  • Ana Luzia Souza

    é muito lindo tudo isso que vc escreve,que um dia eu possa ter a alegria de conhecer você para partilharmos essas maravilhas de Deus.Sou amiga da Obra aqui em São Luis-Ma,mas é como sempre costumamos dizer:”nos encontramos no Caminho”

  • Vericiana Alves

    Suas palavras me fizeram entrar em profunda reflexão e me inspiraram a compor uma nova canção, obrigada.
    Que Deus te abençoe.
    Como gostaria de te conhecer pessoalmente, Deus nos permita.
    Sou leiga da Fraternitas Santíssimo Sacramento em Crato Ceará.

Enquete

divider image
Qual o seu propósito neste ADVENTO?
Ver o resultado
divider image



bottom round image

footertop right

Fraternidade O Caminho – Jesus todo, todo de Jesus. 2009 - 2014 © Todos os direitos reservados