“Fraternitas Pauperes Iesus Christi” – Fraternidade dos Pobres de Jesus Cristo”

Toda consagração religiosa tem sua origem numa história de amor e entrega entre Deus e o homem.

A iniciativa é d’Ele. É Ele quem chama e escolhe “Não foram vocês que me escolheram, mas fui Eu que vos escolhi e vos destinei para ir e dar fruto e para que o vosso fruto permaneça” (Jo 15,16).

Nossa resposta livre e ansiosa a esse convite configura nossa vida a d’Ele, tornando-nos assim um alter Christis – outro Cristo.

Com Ele e por Ele nós nos tornamos pobres, castos e obedientes, vivendo em comunidade e numa total doação aos pobres nos seus múltiplos rostos: irmãos e irmãs em situação de rua, de prostituição, de drogadição, de prisão, de degradação humana…

Essa total doação tem para nós um valor sagrado, por isso é que professamos também um quarto voto que é de “total disponibilidade aos pobres”.

Nosso dia-a-dia divide-se em momentos de oração, Adoração, reparação, Santa Missa, meditação do Santo Rosário, trabalhos manuais e domésticos, serviço aos pobres, formação…

O jovem que deseja abraçar nossa vida passa por um processo de acompanhamento que vai de seis meses a um ano. Depois disso ele é admitido como vocacionado interno e as outras etapas que sucedem: aspirantado, postulantado e noviciado. Ao final dessa última etapa que tem duração de dois anos, professa publicamente os Conselhos Evangélicos.